Parasitologia
Exame qualitativo
Para o exame parasitológico utiliza-se uma pequena quantidade de fezes, que depois de diluída e filtrada, é examinada entre lâmina e lamínula.

Em cães e gatos pode-se colher uma pequena porção das fezes recém expelidas ou introduzir um coletor no reto. No consultório é viável a utilização de pedaços de equipo para esta finalidade. Deve-se lubrificar o equipo com glicerina, introduzir aproximadamente 15 a 20 cm no reto e colocar o material em saco plástico, identificar e encaminhar diretamente ao laboratório. Caso o envio não seja imediato, recomenda-se conservar sob refrigeração.

As fezes podem também ser conservadas em solução de Mertiolate, Iodo e Formol (MIF), ou em formol a 10%. Estas soluções são utilizadas ainda para a realização de exames parasitológicos seriados (duas ou três amostras consecutivas).

Exame quantitativo
O exame quantitativo das fezes é realizado para a estimativa da carga parasitária de herbívoros, especialmente em rebanhos de ovinos, caprinos e bovinos. Neste caso deve-se colher as fezes diretamente da ampola retal, distribuindo as amostras de acordo com o sexo e a faixa etária.

Em rebanhos de ovinos e caprinos, além dos reprodutores, recomenda-se colher fezes de, pelo menos, 5% dos animais de acordo com a categoria ou com a idade, conforme a seguinte demonstração:

 5% de machos com 0 a 6 meses de idade;

 5% de fêmeas com 0 a 6 meses de idade;

 5% de machos com 6 a 12 meses de idade;

 5% de fêmeas com 6 a 12 meses de idade;

 5% de fêmeas com idade superior a 12 meses.

Miscropia de Pele
O exame parasitológico da pele visa principalmente a constatação de fungos, infecções bacterianas e ácaros causadores de sarna. O material deve ser constituído por um raspado cutâneo das periferias da lesão.

Quando a suspeita clínica é sarna, o raspado deve ser profundo, de maneira que seja produzido sangramento capilar, para possibilitar a identificação de ácaros escavadores, tais como os dos gêneros Sarcoptes e Demodex. A lesão cutânea deve ser apertada entre o polegar e o indicador para tentar expulsar os ácaros dos folículos pilosos.

As crostas, quando presentes, também devem ser encaminhadas ao laboratório, juntamente com o pêlo para a constatação de fungo.

O raspado cutâneo pode ser feito com uma lâmina de bisturi e o material colocado sobre uma lâmina de vidro, que deve ser acoplada a outra lâmina para depois serem envolvidas com papel ou aderidas nas bordas com esparadrapo. Após identificação, o material deve ser encaminhado ao laboratório sem qualquer conservante. Não deve ser refrigerado.

Observações:

Na requisição, é indispensável que o Médico Veterinário descreva o tipo e a localização da(s) lesão(ões);

Suspender o uso de medicamentos, banhos ou qualquer produto tópico ou sistêmico durante, pelo menos, cinco a sete dias antes da colheita da amostra.

Tricograma
Este exame serve para analisar a estrutura do pêlo e, muitas das vezes, detectar diversos elementos causadores de lesões cutâneas, tais como esporos e filamentos fúngicos, lêndeas, ovos de ácaros.

A coleta do pêlo deve ser feita com o auxílio de pinça hemostática. Os pêlos alterados, especialmente os que se localizam na periferia das lesões, devem ser priorizados na coleta.


EXAME


AMOSTRA

Coprocultura Fezes
OPG Fezes
Parasitológico de Fezes Fezes